Saiba mais sobre a importância da vacinação

Você sabia que a vacina é o meio mais eficaz de prevenir doenças infectocontagiosas? Isso por que ela é a única capaz de erradicar essas doenças, livrando uma população de novos casos, ou seja, trata-se de uma das maiores conquistas da humanidade.

Vacinar nossos filhos é um dever que não pode ser ignorado ou adiado. Deve ser uma prioridade quando pensamos no bem estar e na saúde da nossa família. Para que você entenda a importância desse ato, a resistência à vacinação foi listada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma das dez maiores ameaças à saúde global em 2019.

Abaixo você vai ter a oportunidade de entender um pouco mais sobre a importância da vacinação, como a vacina age no nosso corpo e suas principais funções:

O que é vacina?

De acordo com o Ministério da Saúde, “as vacinas são substâncias biológicas, preparadas a partir dos microorganismos causadores das doenças (bactérias ou vírus), modificados laboratorialmente, de forma a perderem a sua potência de provocar doença”.

Prevenção

Todos nós já escutamos o ditado “é melhor prevenir do que remediar”. Portanto é exatamente assim que se deve pensar quando falamos em vacina, já que previne a doença e, nesse caso, é muito mais fácil prevenir do que trata-la posteriormente.

A imunização protege o corpo contra os vírus e bactérias que causam vários tipos de doença, algumas delas de maior gravidade e que levam à morte, como a Meningite, por exemplo.

No Brasil, 19 vacinas que integram o Calendário Nacional de Vacinação, que abrangem todas as faixas etárias e vão da gripe ao HPV. Todas elas são resultados de extensas pesquisas que comprovam sua eficácia.

Bem coletivo

Quando imunizamos nossos filhos e garantimos que ele não adoeça, impedimos também que outras crianças fiquem doentes. É simples: um não passa para o outro, a doença não avança e acaba sendo erradicada.

Quanto maior o número de pessoas imunizadas em uma sociedade, menor é a chance de alguém desenvolver uma doença.

Quais são as funções das vacinas

Ainda segundo o Ministério da Saúde, “as vacinas, quando administradas, estimulam no organismo, depois de algum tempo, a produção de anticorpos contra essas mesmas bactérias ou vírus, razão pela qual é sempre, rigorosamente necessário, respeitar o intervalo mínimo entre as doses”.

Algumas imunizações só terão o esquema vacinal completo, quando o paciente recebe a quantidade de doses prescritas por bula. A partir disso, com a defesa já existente no organismo, o corpo desenvolve a memória imunológica, ou seja, a imunidade.

Em que idade precisamos ser vacinados?

Quando pensamos em vacina, o que nos vem à cabeça são crianças e campanhas de vacinação destinadas ao público infantil desenvolvidas pelo Poder Público, mas é importante destacar que a vacinação é necessária também na vida adulta e estão disponíveis para todas as faixas etárias.

As crianças precisam ser imunizadas contra as meningites, difteria, catapora, pólio, entre outras doenças. Já os idosos devem se proteger contra gripe, pneumonia e tétano. As mulheres em idade fértil precisam tomar vacinas contra rubéola e tétano. Isso por que os casos dessas doenças se manifestam na gravidez ou logo após o parto será um grande risco para elas e para seus bebês, podendo inclusive, ser fatal.

É importante receber a orientação de um médico ou profissional sobre as imunizações que precisam ser feitas ao longo da vida, conforme a idade e as condições de saúde.

Reações adversas

A grande maioria das vacinas não apresenta efeito colateral. Em alguns casos apenas sintomas leves, como febre, mal-estar e dores locais, especialmente em crianças.

De qualquer forma, como outras medicações que tomamos ao longo da vida, podem causar reações após a aplicação. De acordo com o Hospital Sírio Libanês, “por serem causados por componentes da própria vacina, na maioria das vezes estes eventos são esperados, inevitáveis e leves, sem consequências permanentes e de curta duração”

Quais os perigos de não estar vacinado?

Quando não estamos protegidos pela vacina, corremos o risco de contrair doenças graves e fatais. Veja abaixo as mais comuns e que podem levar à morte:

Criança: poliomielite, difteria, coqueluche, tétano, tuberculose, meningite por vários tipos de bactéria (pneumococo, hemófilus, meningococo), pneumonias graves por pneumococo ou hemófilus; sarampo, caxumba, rubéola, varicela, diarreia por rotavírus; influenza.

Adolescentes e adultos: HPV, influenza, meningite, pneumonia, herpes zoster, febre amarela.

Proteger Vacinas

Com base nas informações que recebeu até aqui, sem dúvidas alguma você sabe da importância de vacinar seus filhos e de ter a carteirinha de vacinação atualizada.

Caso queira tirar dúvidas, saber quais vacinas ainda precisam ser tomadas, quais são oferecidas na rede pública e em clínicas particulares, entre em contato conosco. Nossa equipe está pronta para te ajudar! A Proteger Vacinas dispõem de uma clínica completa, com profissionais preparados para atender pacientes de todas as idades.

Você pode gostar

Dicas sobre imunização, saiba quando devemos ser vacinados

Conheça a importância das vacinas contra a meningite

Vacina da Gripe pode proteger doenças cardíacas

Entenda a mutação do vírus da Gripe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *